Domingo, 14 de Julho de 2024
10°C 16°C
Curitiba, PR
Publicidade

Um ano para a seleção brasileira esquecer

2023 foi um ano terrível para a seleção brasileira de futebol masculina, mas como diz o ditado, nada é tão ruim que não possa piorar

17/12/2023 às 09h39
Por: VICTOR LUÍS
Compartilhe:
Um ano para a seleção brasileira esquecer

Após a eliminação da Copa do Mundo diante da Croácia, a seleção brasileira parece viver um pesadelo daqueles em que não conseguimos acordar. Tite, assim como muitos imaginavam, faz falta para a seleção brasileira desde então. Com um sentimento de insatisfação e um desejo por mudanças significativas no comando da seleção, a CBF quis arriscar e tentar trazer o técnico Carlo Ancelotti, atualmente no comando do Real Madrid, para tentar resgatar os dias de glória da seleção. 

Porém, com contrato assinado até a metade de 2024 com o clube espanhol, a seleção precisaria esperar até um ano e meio para receber o treinador italiano. Até lá, a CBF optou por trazer o técnico Fernando Diniz, que comanda o Fluminense, para segurar as pontas até a possível chegada de Carlo Ancelotti, apesar de não haver nada firmado entre o treinador e a seleção, havendo inclusive diversos rumores por parte da imprensa espanhola dizendo que o treinador renovaria com o Real Madrid e não assumiria o Brasil na Copa América na metade de 2024, como o esperado.

Diante deste cenário incerto, a seleção de Diniz se mostrou frágil e mal preparada desde o seu primeiro jogo, no amistoso contra o Marrocos, no início do ano, perdendo a partida por 2x1. Daí em diante, o que parecia ser apenas um jogo ruim e um início de trabalho que levaria um pouco mais de tempo para encaixar, foi só ladeira abaixo. A seleção disputou nove partidas em 2023, incluindo amistosos e jogos válidos pela eliminatória da Copa do Mundo 2026, e ganhou apenas três jogos, empatou um, e saiu derrotada em cinco partidas, perdendo três seguidas nos últimos três jogos do ano, todos válidos pelas eliminatórias, terminando o ano na 6ª colocação.

Além das derrotas, a seleção brasileira atingiu marcas negativas neste ano. Perdeu pela primeira vez em casa jogando pelas eliminatórias, foi derrotada pela primeira vez na história para a Colômbia no mesmo torneio, além de virar vexame internacional por se curvar diante de um treinador, sendo a maior seleção de futebol de todos os tempos, quando o mesmo nem sequer garantiu que viria. Ainda perdeu em casa para a grande rival Argentina em pleno Maracanã com direito a confusão entre os torcedores, e ainda perdeu para duas seleções africanas no mesmo ano. Além disso, seus principais jogadores, Neymar, Vinícius Junior e Éder Militão sofreram graves lesões, sendo desfalques importantes para a equipe no período.

Para não dizer que houve apenas momentos infelizes para a seleção brasileira, os prodígios e futuros craques nacionais Endrick e Vitor Roque fizeram suas estreias pela seleção neste ano, iniciando suas jornadas promissoras com a amarelinha.

Além da seleção principal, a seleção sub-17 e a sub-20 também não tiveram momentos muito felizes nesta temporada. A seleção brasileira sub-17 foi eliminada para a rival Argentina por 3x0 na Copa do mundo, nas quartas de final. Já a sub-20 foi eliminada para Israel, na mesma fase da Copa, por 3x2.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias