Domingo, 22 de Maio de 2022

Nevoeiro

Curitiba - PR

Anúncio
Esportes Olímpicos Esgrima

De dobradinha familiar a título por um toque: último dia de Copa Brasil 95 anos CBE teve finais para todos os gostos

Competição nacional foi encerrada nesta terça-feira entregando ouros para Fabio Damasceno, Mônica Santos, Jovane Guissone e Alex Souza

13/04/2022 às 09h46
Por: Redação Fonte: Confederação Brasileira de Esgrima
Compartilhe:
Foto: Rosele Sanchotene
Foto: Rosele Sanchotene

O segundo e último dia da Copa Brasil 95 anos CBE teve finais para todos os gostos. Nesta terça-feira (12), a competição nacional se despediu do Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo-SP, condecorando quatro esgrimistas ao patamar de campeão com os mais diversos roteiros. Fabio Damasceno, Mônica Santos, Jovane Guissone e Alex Souza foram os medalhistas de ouro.

Dobradinha familiar

Em meio a diversas finais da 1ª Copa Brasil 95 anos CBE, uma chamou a atenção. Na decisão do sabre A masculino, o mesmo sobrenome foi estampado nas lacunas dos postulantes ao ouro da arma: Damasceno. De um lado, o Fabio e, de outro, o Kevin. Pai e filho disputaram ponto a ponto rumo a tão sonhada medalha de ouro.

Os esgrimistas do Grêmio Náutico União, que nunca estiveram em uma decisão de campeonato um contra o outro, fizeram uma final franca, com ninguém hesitando nas investidas para acertar toques. E nessa disputa familiar, a experiência prevaleceu: Fabio conseguiu derrotar Kevin ao aplicar 15 a 9 na final.

O vencedor do sabre fez questão de elogiar o filho e adversário da final e aproveitou para brincar com a situação.

“O nível dele está subindo. Ele derrotou vários adversários muito fortes aqui e chegou à final comigo. Mas contra mim ele vai ter de pedalar um pouco mais. O pai ainda está mandando, até quando eu não sei”, brincou o campeão.

Apesar de ter perdido a final, o vice-campeão saiu muito feliz do Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro. Kevin, que tem apenas 17 anos, se disse surpreso por chegar a uma final contra o pai mesmo sendo tão novo.

“Estou muito feliz. Nunca imaginei que eu, tão novo na esgrima e com tão pouca experiência, iria chegar a uma final contra o meu pai, que já é tão experiente na modalidade. Fico muito feliz de ter chegado”, enalteceu o atleta do Grêmio Náutico União.

Mônica Santos leva mais um ouro para casa

Mônica Santos (Grêmio Náutico União-RS) fez uma grande competição e fechou a sua participação na Copa Brasil com três medalhas (dois ouros e um bronze). Um dos ouros veio nesta terça-feira.

Na disputa do florete A feminino, a gaúcha fez uma eliminatória muito consistente. Primeiro, passou pela companheira de Grêmio Náutico União, Rudineia Manica, por 15 a 6 no quadro de 8. Depois, fez jogo super acirrado contra Carminha Oliveira (Associação dos Deficientes Físicos do Paraná) na semifinal, em que triunfou por 15 a 13. Por fim, ela bateu Rayssa Veras (Club Athletico Paulistano) na decisão por 15 a 11 e ficou com o ouro.

Domínio absoluto de Jovane Guissone na espada B

A espada B masculina foi dominada por Jovane Guissone (Associação dos Deficientes Físicos do Paraná). O medalhista paralímpico foi imbatível desde a pule e só venceu com placares dilatados nas eliminatórias.

No quadro de 8, ele bateu José Rodrigues (Associação Atlética Anthares-AL) por 15 a 1. Depois, derrotou Vanderson Chaves (Grêmio Náutico União-RS) na semifinal por 15 a 4. Na decisão, passou por Mauricio Stempniak (também do Náutico União) por 15 a 3 para ficar com o campeonato.

Por um toque

A última disputa do dia foi justamente a mais acirrada e a mais longa. Na luta pelo título do florete A masculino, Alex Souza, do Esporte Clube Pinheiros-SP, e Lenilson de Oliveira, do Club Athletico Paulistano-SP, foram até o último instante para decidir quem ficaria com o ouro.

Na final, Souza chegou a estar vencendo por 14 a 11, mas Oliveira não deixou a partida ser perdida facilmente e empatou o confronto. No momento decisivo, o atleta do Pinheiros foi mais efetivo e chegou ao 15º ponto para encerrar o embate em 15 a 14.

Campeão, Alex Souza já projeta a disputa da Copa do Mundo, que começa nesta quinta-feira. A intenção do esgrimista é repetir a consistência do seu jogo no campeonato internacional.

“Na quinta-feira começamos a Copa do Mundo. Eu espero poder repetir o mesmo jogo, fazer uma exibição coerente e constante, não oscilar tanto durante a competição”, afirmou o medalhista de ouro no florete.

Encerrada a 1ª Copa Brasil 95 anos CBE, a quarta-feira (13) não terá programação no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro. Porém, a partir de quinta-feira (14), paraesgrimistas do mundo todo vão se reunir em São Paulo para disputar a Copa do Mundo, que segue até domingo (17).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias