Segunda, 27 de Setembro de 2021 06:31
(41) 98889-8341
Tóquio 2020 Futebol Masculino

É OURO! No sufoco e prorrogação, Brasil vence a Espanha e é bicampeão olímpico

No sacrifício, sofrido e no tempo extra, assim foi o jogão que deu a vitória e o bicampeonato olímpico ao Brasil

07/08/2021 11h04
Por: LEANDRO GEORGETE
Foto: Gaspar Nóbrega / COB
Foto: Gaspar Nóbrega / COB

É OURO, é ouro para o futebol brasileiro! Vencendo os Espanhóis por 2 a 1 no tempo extra, o Brasil conquista a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio e se torna bicampeão no futebol masculino. . A partida entre Brasil e Espanha ocorreu em Yokohama, palco do penta em 2002, às 8h30 no horário de Brasília. E o foi um jogão, digno de final de Olimpíadas, com direito a pênalti perdido no primeiro tempo, golaço de empate e gol na velocidade brasileira na prorrogação.

O jogo:

Os primeiros minutos da partida foram de mais estudo para as equipes. A Espanha tentava sair tocando a bola desde o campo de defesa, mas não conseguia chegar ao ataque, ao menos tentar uma bola aérea. O time brasileiro buscava o jogo, mas era muito pressionado na saída de bola. O jogo seguiu durante os 7 primeiros minutos.

A primeira chance da partida veio do lado espanhol. Em lançamento na área, Oyarzabal recebeu já escorando de cabeça e Diego Carlos chegou rapidamente para dar um toque na bola, encobrir o Santos e salvar em cima da linha. O Brasil por sua vez chegou ao ataque com a pressão na saída de bola. Bruno Guimarães conseguiu a interceptação e Douglas Luiz tentou a finalização, que desviou e foi para escanteio. Aos 31 minutos, mais uma boa chegada espanhola com Asensio, que finalizou cruzado para a defesa de Santos. 

Em uma falta cobrada para dentro da área poucos minutos depois, Matheus Cunha tentou o cabeceio mas foi atropelado por Unai Simón, que nem acertou a bola. Após o atendimento do brasileiro em campo, o Var chamou o árbitro para um possível pênalti. O juiz verificou e assinalou a falta dentro da área para o Brasil. Com 37 minutos, Richarlison foi para a cobrança e isolou. A bola passou por cima do lado direito do goleiro Simón. 

Perto do fim do primeiro tempo, aos 46 minutos, Claudinho lançou a bola na área, e o que parecia ser só um lançamento errado, se originou no gol brasileiro. Daniel Alves buscou a bola na linha de fundo e escorou para perto da marca da cal. Matheus Cunha dominou ganhando sobre três espanhóis e finalizou no cantinho do gol para estufar as redes. Brasil 1 a 0 para cima da Espanha e fim do primeiro tempo.

No segundo tempo a Espanha já começou com alterações, indo para cima e pressionando a equipe brasileira. Porém, foi o Brasil quem chegou perto de marcar mais um gol. Richarlison recebeu a bola dentro da área, fez lindo corte no marcador e chutou cara a cara com o goleiro espanhol, que desviou e a bola carimbou o travessão. Lindo lance do Pombo. 

A Espanha pressionava a defesa brasileira, mas não conseguia chegar a finalização. Quando finalmente conseguiu o chute, empatou a partida. Aos 14 minutos Soler avançou pela pelas costas de Arana, e cruzou para a área. Quem chegou por trás de Dani Alves finalizar bonito para o fundo do gol foi Oyarzabal. Empate espanhol em Yokohama.

Após o gol, os europeus continuaram com uma maior posse de bola, praticamente no tik-taka, envolvendo a equipe brasileira que não avançava e nem pressionava os adversários. Aos 21 minutos Soler arriscou de fora da área e Santos quase causou uma confusão batendo roupa, mas segurando a bola firmemente depois. 

A seleção brasileira sentia muito o desgaste físico, e diminuiu bastante a intensidade na segunda etapa, o que facilitou para os espanhóis aumentarem a produtividade e comandar o ritmo do jogo. Perto do fim do tempo regulamentar, Soler cruzou fechado e encobriu Santos, mas a bola acabou tocando no travessão. O meio-campista entrou na segunda etapa e mudou a partida, dando assistência e armando as jogadas. Aos 42, mais um chutão de fora da área que foi diretamente no travessão. Soler pela direita armou a jogada e rolou para Bryan Gil, que mandou a bomba na trave brasileira. 

Nos acréscimos o Brasil até tentou chegar ao ataque com o Pombo, mas foi travado no cruzado. Fim do tempo regulamentar e empate em 1 a 1.

Prorrogação:

Começamos o tempo extra com a primeira alteração de Jardine na equipe brasileira. Saiu Matheus Cunha para a entrada de Malcom, deslocando Claudinho para o meio, que passou a jogar mais centralizado. E o atacante brasileiro entrou na partida, colocando bastante volume de jogo pelo lado esquerdo. O Brasil chegava forte, mas a defesa espanhola sempre travava, ou recuperava a bola antes de uma possível finalização.

No primeiro tempo da prorrogação só deu a seleção brasileira no ataque, principalmente pelo lado esquerdo com a dupla Arana e Malcom. Espanha só se defendeu e quando armava o contra-ataque, era interceptada pelos brazucas. 

Logo no início dos últimos 15 minutos a seleção espanhola já partiu para o ataque tentando pressionar. Em uma roubada de bola, Antony ganhou a bola no campo de defesa e fez um lindo lançamento para Malcom, que ganhou na corrida e entrou na área de frente para o goleiro que colocou para dentro do gol. Gol de desempate, gol da vitória brasileira.

A partida seguiu quente, com a Espanha indo para o ataque a todo momento e a defesa brasileira funcionando muito bem. Mesmo tomando sufoco espanhol no fim, a vitória foi brasileira. Final: Brasil 2x1 Espanha. Ouro brasileiro, segundo na história e ainda seguido.

Ficha Técnica Brasil 1 x 1 Espanha

Data: 07 de agosto de 2021 (Sábado)

Local: Yokohama / Japão

Escalações

Brasil: Santos, Daniel Alves, Nino Diego Carlos, Guilherme Arana; Bruno Guimarães, Douglas Luiz, Antony (Gabriel Menino) e Claudinho (Reinier); Matheus Cunha (Malcom) e Richarlison (Paulinho).

Cartão amarelo: Guilherme Arana, Richarlison, Matheus Cunha, Douglas Luiz

Gols: Matheus Cunha aos 46' do 1T e Malcom aos 02' do 1TP.

Técnico: André Jardine.

Espanha: Unai Simón, Óscar Gil (Vallejo), Eric García, Pau Torres, Cucurella (Miranda); Zubimendi, Pedri, Mikel Merino (Carlos Soler); Dani Olmo, Oyarzabal (Rafa Mir) e Asensio (Bryan Gil). 

Cartão amarelo: Eric García, Bryan Gil

Gol: Oyarzabal aos 14' do 2T.

Técnico: Luis de La Fuente. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias