Segunda, 27 de Setembro de 2021 06:42
(41) 98889-8341
Tóquio 2020 Vôlei feminino

De virada, Brasil supera o Comitê Olímpico Russo e está classificado para semifinal

O jogo marcou a volta da levantadora Macris, que mesmo não estando 100%, foi destaque na partida

04/08/2021 14h22 Atualizada há 2 meses
Por: GUILHERME DIAS
Foto: Volleyball World
Foto: Volleyball World

Foi de virada! Brasil e Comitê Olímpico Russo entraram em quadra na manhã desta quarta-feira (04), para disputa das quartas de final do vôlei feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A partida foi super disputada, e mesmo tendo perdido o primeiro set, as brasileiras buscaram o resultado e venceram a partida por 3 sets a 1 (parciais de 23/25, 25/21, 25/19 e 25/22), se classificando para as semifinais da competição.

1º set difícil e instável para as brasileiras

O primeiro set foi muito disputado, mas o Brasil não conseguiu assumir a liderança do placar. Teve altos e baixos e sofreu principalmente com a cobertura. Com o placar apertado em 12x11 para o Comitê Olímpico Russo, o técnico Sergio Busato parou o jogo, e a estratégia funcionou, e as russas conseguiram abrir uma vantagem considerável. 

Zé Roberto precisou se mexer e chamou Rosamaria e Macris para o jogo, a levantadora, mesmo não estando 100% após a lesão na fase de grupos, quis ajudar a equipe na partida. As mudanças funcionaram, o Brasil diminuiu a diferença, mas já estava tarde para tentar uma reação, e Fedorovtseva fechou o set em 23/25, fazendo 1 set a 0.

O empate buscado na raça

O Brasil voltou mais ligado para o segundo set, com a sua formação original. Logo no começo assumiu a liderança do placar pela primeira vez na partida. Mas depois sofreu a virada russa, deixando 8x4 no placar. Zé Roberto então parou o jogo, e novamente fez a inversão do sistema 5x1, trazendo Macris e Rosamaria, as duas entraram em quadra pra não sair mais.

Com a entrada das duas, as brasileiras buscaram o jogo e não desistiram. Em belas defesas e ataques, Fê Garay com fortes ataques diminuiu a vantagem, e Gabi, a principal pontuadora da partida com 18 pontos, atacou pelo meio e deixou tudo igual 17x17. Pra virar a partida, Rosamaria acertou um lindo ace, e Carol Gattaz fechou o paredão para o Brasil pular na frente com vantagem. 

A partir do momento que virou a partida, a seleção não saiu mais da liderança. O jogo era dificil, Goncharova e Fedorovtseva não aliviavam nos ataques, mas a equipe brasileira manteve o ritmo até o fim, fechando o set em 25/21, empatando a partida.

3º set da virada

A virada psicológica virou matemática no 3º set. Mesmo começando atrás do placar no terceiro set, as brasileiras buscaram o jogo e até mesmo chegaram a abrir 9x6. Carol Gattaz, Rosamaria e Garay comandavam o ataque, com a ajuda de Macris dando show mesmo com dores no tornozelo. Lá trás, Camila Brait entrou no jogo e fazia recepções e coberturas espetaculares. Em um bloqueio de Rosamaria, a seleção abriu três pontos de vantagem no set. O Brasil jogava muito no bloqueio, e se aproveitava também os erros russos no ataque.

Na reta final do set, Fernanda Garay virou uma linda bola e deixou o placar em 22x18, dando uma vantagem às brasileiras. As russas mostravam que ganhar o set não seria fácil e encurtaram a diferença em um ponto. Mas o Brasil tinha Gabi, que garantiu o set point da partida, e Rosamaria , que com uma pancada na saída venceu o bloqueio russo, e fechou o set em 25/19, era a virada do Brasil no jogo.

4º set da consagração

O início de jogo foi superado, e no 4º e último set, as brasileiras vieram pra quadra destinadas a terminar com jogo e saíram na frente. Gabi e Camila Brait não deixavam uma bola cair no chão, o set foi marcado por longos rallys, onde os dois times buscavam o ponto com todas as forças. Apesar do bom jogo do Brasil, as russas queriam o empate, e se aproveitando de uma sequência de três erros brasileiros, viraram o placar em 16x15. Fedorovtseva, com um ace, aumentou a vantagem. 

O Brasil precisava se acalmar e reencontrar o bom jogo, e aí entrou a mão do técnico novamente. Zé Roberto parou a partida, esfriou o bom momento russo e funcionou. O time reagiu, voltou a ditar o ritmo e dominou a partida, Rosamaria armou o paredão para conquistar o 19º ponto, atacou na ponta para fazer o set point, e após uma defesa de cinema de Camila Brait, a oposta explorou o bloqueio para fechar a partida. Fim de jogo, Brasil 25/22 Comitê Olímpico Russo, 3 sets a 1.

Na semifinal, as brasileiras irão enfrentar a Coreia do Sul, que eliminou a Túrquia por 3 sets a 0. A partida acontece na sexta-feira (06), às 9h da manhã (horário de Brasília).

 

*Colaborou Leandro Georgete

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias