Sábado, 15 de Maio de 2021 22:46
(41) 98889-8341
Anúncio
Geral O

O japonês voador e sua eterna lua de mel em Indianápolis

Se você parar pensar em quem você apostaria para ganhar provas da Indy você provavelmente lembraria de Scott Dixon, Josef Newgarden e outros nomes que dominam a categoria nos últimos anos. Nas 500 milhas de Indianápolis, você pode até lembrar de alguns pilotos que aparecem ocasionalmente na prova ma

27/08/2020 14h12
13
Por: Redação
O japonês voador e sua eterna lua de mel em Indianápolis

Se você parar pensar em quem você apostaria para ganhar provas da Indy você provavelmente lembraria de Scott Dixon, Josef Newgarden e outros nomes que dominam a categoria nos últimos anos. Nas 500 milhas de Indianápolis, você pode até lembrar de alguns pilotos que aparecem ocasionalmente na prova mais conhecida do automobilismo mundial. Só que em 2020 um nome conhecido, só que esquecido por muita gente que não acompanha o mundo norte-americano.

Takuma Sato foi literalmente copeiro nas 500 milhas mais conhecidas do mundo. Largou em terceiro, andou a prova toda no topo e na hora que precisava mostrar porque o nome dele é sempre lembrado quando tratamos de automobilismo japonês, mostrou. Deixou Dixon para trás duas vezes, não sendo ultrapassado pelo neozelandês na pista, somente nos boxes. No fim, Indianápolis destinou um final em bandeira amarela, que assegurou o seu triunfo e mostrou que tem um carinho muito grande por ele.

Sato é considerado o maior japonês da história da Fórmula 1 e seu único pódio na categoria foi conquistado aonde? Em Indianápolis, em 2004. Apesar de que o grande momento lembrado por muitos da carreira do piloto foi no GP do Canadá de 2007, quando chegou em sexto com uma Super Aguri, ultrapassando o atual campeão Fernando Alonso, que ficou devendo em 2020 na Indy500.

Indianápolis que já deu um pódio na F1 ao japonês também lhe consagrou na Indy, já que ele venceu as 500 milhas em 2017 e em 2020 repetiu o feito. Sato está na categoria norte-americana desde 2010. Em dez anos são seis vitórias, um terço delas na principal prova do calendário.

Agradecemos a Indianápolis, que com seus tijolos beijados e o leite derramado, além de uma festa no pódio, não nos deixa esquecer do tamanho e da grande de Takuma Sato!

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias